Suposições de Jungian vs. Lumina Spark

A coluna da esquerda mostra os pressupostos Jungianos, que foram utilizados durante várias décadas. Em contraste, as afirmações Big 5 e Lumina Spark estão delineadas nas coluna da direita.

Suposição Jungiana Lumina Spark / Big5 Últimas pesquisas empíricas

Estes quatro fatores são "bimodais", precisando um indivíduo de estar numa extremidade da polaridade, isto é, um indivíduo deve ser introvertido ou um extravertido (e não pode possuir ambas as qualidades).

Estes cinco fatores não são "bimodais". Estes formam uma distribuição "normal", isto é, um indivíduo pode possuir as qualidades de introversão e extroversão.

Cada um dos quatro fatores tem duas polaridades. Isto produz uma matriz 4 x 4, com 16 tipologias de personalidade.

Dentro de cada um dos cinco fatores existem sub-fatores que a Lumina denomina de "qualidades". Os indivíduos podem "pontuar", em qualquer lugar em num contínuo, e o conceito de "tipo", como descrito por Jung, simplesmente não é empiricamente justificável.

Das quatro funções - deteção, intuição, pensamento e sentimento - a função que é "dominante" não é determinada pela pontuação mais alta entre as, mas sim, por um cálculo adicional baseado no fator de julgamento e perceção.

Para determinar a intensidade relativa dos cinco fatores não é necessário um cálculo baseado nas pontuações de julgamento e perceção.

Em vez disso, uma abordagem mais simples sugere que o grau de preferência que um indivíduo tem para um determinado fator é determinado pela força de sua pontuação no mesmo.